• Violência nas Relações de Intimidade: Do 1º episódio ao homicídio. Serviços de Saúde e trabalho em rede
  • Violência nas Relações de Intimidade: Do 1º episódio ao homicídio. Serviços de Saúde e trabalho em rede

    Voltar
    22/11/2021

    Reconhecendo as sérias implicações, imediatas e de longo prazo, para a saúde e desenvolvimentos psicológico e social que a violência representa para os indivíduos, famílias, comunidades e países, a OMS (2002) declarou que a violência é um dos principais problemas mundiais de saúde pública.

    Colocando o foco na violência no contexto da intimidade a OMS defende, entre várias estratégias, o trabalho em rede, sublinhando a importância de promover um maior envolvimento dos vários setores da comunidade (Serviços de Saúde, Sistema Judicial, Forças de Segurança, Seg. Social, Educação, …) na prevenção e gestão da violência. Afirma também que numa rede com estas características os profissionais da área da saúde têm a vantagem de ocupar uma posição especial na comunidade para a sinalização e encaminhamento precoces das situações de violência assumindo também, enquanto pares no trabalho em rede, papel importante na prevenção do homicídio. Em Coimbra, a experiência da rede “Grupo Violência: Informação, Investigação, Intervenção” (Grupo V!!!, 2002) isso nos tem confirmado. 

    Tendo em conta o simbólico associado ao Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher — e colocando o foco nos Serviços de Saúde e na experiência de 19 anos de trabalho da rede Grupo V!!! — esta rede criou a presente mesa-redonda para uma breve reflexão sobre as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças quando, numa perspectiva ecológico-sistémica e de saúde pública, um sistema defende a organização proposta pela OMS (2002).

    NOTA: Integram o Grupo V!!!: ARS Centro; Centro Distrital de Solidariedade e Segurança Social do Distrito de Coimbra; Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, EPE (Centro de Prevenção e Tratamento do Trauma Psicológico / Unidade de Violência Familiar; Serviço de Psiquiatria da Infância e Adolescência); Delegação do Centro do Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses, IP; Departamento de Investigação e Acção Penal – Coimbra; Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra; Fundação Bissaya Barreto; Gabinete de Apoio à Vítima de Coimbra – APAV; Guarda Nacional Republicana – Coimbra; Instituto Nacional de Emergência Médica; Polícia de Segurança Pública de Coimbra; Projecto de Intervenção em Rede (PIR 2009 – 2012) (Cuidados de Saúde Primários /inclui profissionais do ACES BM); Rede Escolas Contra a Violência.

    Assista à Mesa Redonda através:
    https://facebook.com/events/s/mesa-redonda-violencia-nas-rel/444943413646205/